Tamanho do texto

SÃO PAULO (Reuters) - A Fibria irá reajustar o preço da celulose a partir de 1o de abril em 50 dólares por tonelada em todos os mercados, informou à Reuters um analista que acompanha o setor e obteve a informação com a empresa. Com o novo reajuste, o quarto de 2010, o preço da celulose para a América do Norte chega a 870 dólares por tonelada, na Europa alcança 840 dólares e na Ásia, 800 dólares por tonelada.

Assim, os preços da celulose voltam ao patamar registrado antes de setembro de 2008, quando o banco de investimentos norte-americano Lehman Brothers entrou em colapso, agravando a crise financeira global.

O terremoto no Chile no final de fevereiro --que prejudicou a produção de celulose do país, um dos maiores produtores mundiais-- e uma greve nos portos da Finlândia estão reduzindo a oferta, o que incentiva a elevação dos preços da celulose, que já registravam ampla recuperação desde meados de 2009.

Procurada pela Reuters, a assessoria da Fibria disse que não confirma a informação do reajuste da celulose para a imprensa.

A Suzano Papel e Celulose não informou se acompanhará o aumento de preço da concorrente.

A expectativa, agora, é que as principais produtoras de celulose em todo o mundo, incluindo a Suzano, acompanhem a Fibria e anunciem aumentos em breve.

As ações da Fibria subiam 0,94 por cento às 13h26, para 37,55 reais, enquanto o Ibovespa subia 0,95 por cento. As da Suzano, que não fazem parte do índice, avançavam 0,79 por cento, para 21,62 reais.

(Por Carolina Marcondes)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.