Tamanho do texto

Rio, 6 - Na análise feita pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) sobre os produtos do varejo, as altas de preço mais expressivas em janeiro foram registradas em batata-inglesa (19,80%); curso de ensino fundamental (8,49%); e tarifa de ônibus urbano (1,80%). Já as mais expressivas quedas de preço foram apuradas em tomate (-17,39%); limão (-35,89%); e tarifa de táxi (-4,26%).

No varejo, o IPC-DI acumulou elevação de 5,92% em 12 meses até janeiro, informou a FGV. A instituição anunciou hoje o IGP-DI de janeiro - sendo que o IPC-DI representa 30% do total do IGP-DI.

Ao comentar sobre o cenário da inflação no varejo no mês passado, a FGV informou que a aceleração na taxa do IPC-DI, de dezembro para janeiro (de 0,52% para 0,83%) foi influenciada por elevações de preços mais intensas em três dos sete grupos componentes do IPC-DI. É o caso de Alimentação (de 0,60% para 1%); Transportes (de 0,72% para 0,74%); e Educação, Leitura e Recreação (de 0,37% para 3,53%).

Ainda segundo a FGV, essa última classe de despesa foi a maior contribuição para a taxa maior do índice do varejo, influenciada por aumento intenso de preços em cursos formais (de 0,00% para 6,14%).

Já as outras classes de despesa apresentaram desaceleração de preços, ou até mesmo deflação. É o caso de Habitação (de 0,36% para 0,31%); Vestuário (de 0,52% para -0,19%); Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,71% para 0,45%) e Despesas Diversas (de 0,37% para 0,36%).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.