Tamanho do texto

WASHINGTON - O Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) colocou mais pressão nesta terça-feira sobre os bancos para que eles cortem seus dividendos à medida em que as condições econômicas se deterioram, e disse que irá desencorajar as instituições a usar os recursos federais obtidos por elas para fazer tais pagamentos.

Em uma carta aos 12 bancos regionais do Fed, a autoridade monetária disse que os supervisores bancários devem aumentar a supervisão dos dividendos, especialmente nos bancos que receberam recursos do Tesouro sob o plano de resgate do país.

"Embora muitas organizações coloquem grande importância à manutenção de suas dividendos, um conselho de diretores deveria reduzir ou eliminar os dividendos quando a quantidade e a qualidade dos lucros (dos bancos) declinarem ou (os bancos) experimentarem outros problemas financeiros ou quando a perspectiva macroeconômica... se deteriorar", disse o Fed.

Uma fonte de Nova York disse anteriormente que o Fed estava pedindo aos bancos, "com uma linguagem crescentemente forte" que usem os recursos obtidos em programas de resgate do governo para aumentar os empréstimos e suas reservas e não para pagar dividendos.

Na carta, o Fed acrescentou que os bancos que receberam os recursos federais precisarão explicar à autoridade monetária como seus "dividendos propostos... são consistentes com os requerimentos para receber capital sob o programa (de resgate do governo".

Os bancos devem cortar ou eliminar os dividendos das ações ordinárias se os lucros dos últimos quatro trimestres não forem suficientes para pagá-los; se as perspectivas de lucro não forem consistentes com as condições financeiras prospectivas; ou se a empresa estiver correndo o risco de não alcançar a parcela de capital requerida por regulação.

"Não fazer isso pode resultar na avaliação pelos supervisores de que a organização está operando de forma não segura", disse a carta.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.