Tamanho do texto

Autoridade monetária vê economia dos EUA mais fraca do que se pensava e alerta para riscos

O Federal Reserve (Banco Central dos EUA) anunciou hoje que manterá a taxa de juros perto de zero por pelo menos mais dois anos, apesar de divergências internas, num esforço para dar suporte à economia. Não estava claro se a decisão, que não envolveu nenhuma promessa de compras de títulos, será suficiente para colocar um piso no mercado de ações dos Estados Unidos, que já caiu mais de 15% nas últimas duas semanas.

Repercussão

Após o anúncio do Fed, o ibovespa fechou o dia em alta de 5,09% e Nova York também subiu, 3,98% Segundo economistas do Deutsche Bank e do Bank of America Merrill Lynch (BofA) , o movimento já era esperado. "Já são esperadas as taxas de juros nos níveis atuais por um período indefinido," diz o Deutsche Bank em relatório nesta terça-feira. Mas, apesar de ter vindo dentro das expectativas, a crise deixou o mercado querendo mais.

Na avaliação do banco brasileiro Fator, "a história é muito triste". "A avaliação é que o que já ocorreu foi pior do que se esperava e que agora se espera menos do que antes. Fatores como a tragédia do Japão foram minorados e relativizados como determinantes do mau desempenho recente da inflação e do desemprego.", disse o comunicado divulgado nesta tarde

Economia frágil

O Fed disse que o crescimento econômico dos Estados Unidos está se mostrando consideravelmente mais fraco que o esperado, sugerindo que a inflação, que já tem se moderado recentemente, vai permanecer contida no futuro previsível.

Três autoridades -- Richard Fisher, do Fed de Dallas; Narayana Kocherlakota, de Minneapolis; e Charles Plosser, da Filadélfia -- votaram contra a decisão.

"O comitê atualmente prevê que as condições econômicas --incluindo os baixos níveis de utilização dos recursos e a perspectiva contida da inflação no médio prazo-- deve garantir níveis excepcionalmente baixos para os juros básicos pelo menos até meados de 2013", afirmou o banco central em comunicado.

O Fed também reiterou sua política de reinvestir os recursos obtidos com a aplicação em bônus, embora não tenha determinado um cronograma específico para suas ações. decisão do Fed acontece em meio a uma forte turbulência nos mercados financeiros, abalados pela preocupação com a economia global após o rebaixamento da nota da dívida dos Estados Unidos.

Além disso, permanece o temor de que os esforços europeus para proteger Itália e Espanha da crise da dívida não sejam suficientes para evitar rupturas no mercado de crédito.


* Com Associated Press e Reuters

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.