Tamanho do texto

Isso porque, em abril, há o pagamento da primeira cota ou cota única do Imposto de Renda da Pessoa Física

selo

A queda de 16,39% na arrecadação de maio em relação a abril deste ano ocorreu por fatores sazonais, segundo a Receita Federal. Isso porque, em abril, há o pagamento da primeira cota ou cota única do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF), ano-base 2010. Também houve em abril o pagamento da primeira cota ou cota única do Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) referente à apuração trimestral do lucro, encerrada em março. Ainda encerrou em abril o prazo para pagamento do saldo de IRPJ e CSLL referente ao ajuste relativo ao ano de 2010. 

PIS e Cofins

O aumento das vendas e das importações ajudou a elevar a arrecadação de PIS e Cofins no mês de maio, segundo os dados divulgados hoje pela Receita Federal. O crescimento da Cofins foi de 8,62% em relação a maio de 2010, enquanto que o recolhimento do PIS subiu 10,92% no mesmo período de comparação. O resultado também foi influenciado pelo acréscimo de 30,64% no pagamento de PIS e Cofins pelas entidades financeiras. A arrecadação de Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) subiu 8,47% no mês passado ante maio de 2010 e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL) cresceu 2,97%. 

O pagamento de IPI (Outros) cresceu 11,37% em maio em relação ao mesmo período do ano passado. O recolhimento do IPI sobre automóveis teve alta de 5,93%, mesmo com a queda nas vendas de veículos em abril (fato gerador para o pagamento do imposto). A arrecadação de IOF cresceu 17,41% em função do aumento das operações de crédito no País e das elevações de alíquota nas operações de câmbio e de crédito da pessoa física. 

A arrecadação do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) registrou alta de 57,53% em maio, ante maio de 2010, principalmente por causa do ganho de capital nas alienações de bens. 

Receitas previdenciárias

As receitas previdenciárias totalizaram R$ 20,928 bilhões em maio, segundo os dados divulgados hoje pela Receita Federal. Esse valor representa um aumento real de 7,93% em relação a maio de 2010 e uma queda de 2,92% ante abril deste ano. No acumulado de janeiro a maio, as receitas previdenciárias somaram R$ 101,879 bilhões, alta real de 9,35% em relação ao mesmo período de 2010.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.