Tamanho do texto

O ex-presidente executivo da seguradora americana AIG, Hank Greenberg, convocado a depor diante de uma comissão do Congresso americano, disse nesta quinta-feira que não tem responsabilidade alguma pela situação desesperadora do grupo, atribuindo a culpa a sucessores gulosos demais.

Greenberg deixou a empresa em 2005 após 38 anos à frente da AIG, que se tornou a número um mundial durante a sua gestão. Aos 83 anos, ele afirmou não ser responsável pelos problemas da seguradora, incluindo as atividades de produtos financeiros, que levaram a uma perda abissal de 99,3 bilhões de dólares em 2008.

"Permita-me ser claro: não é a estratégia da empresa AIG que foi errada, foram os dirigentes do grupo que cometeram erros", disse, diante de uma comissão da Câmara dos Representantes.

"Acho que eles foram gulosos, que assumiram muito mais compromissos do que deviam", acrescentou.

"Como eu poderia ser responsável por qualquer coisa ocorrida no momento em que não estava mais lá?", declarou Greenberg ao Wall Street Journal, segundo suas declarações divulgadas na edição online do jornal.

Considerando que o plano do governo, que concedeu mais de 170 bilhões de dólares à seguradora, havia "fracassado", o ex-dirigente exortou as autoridades a reduzirem para 15% sua participação na AIG, contra os 80% de hoje, com o objetivo de atrair investidores novamente.

Segundo o jornal, Hank Greenberg perdeu centenas de milhões de dólares com os títulos que possuía, em razão da grande queda das ações da seguradora na Bolsa. Ele se mantém como um dos maiores acionistas do grupo.

-- com Dow Jones Newswires --

jug/dm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.