Tamanho do texto

Buenos Aires, 5 - Os exportadores da Argentina continuam dando prioridade à produção de farelo e óleo de soja da pequena safra 2008/2009, em detrimento da venda externa da oleaginosa, de acordo com a câmara de grãos e oleaginosas do país, conhecida como CIARA-CEC. Durante os primeiros nove meses do ano foram processadas 22,77 milhões de toneladas de soja, menos do que as 24,01 milhões de toneladas registradas um ano atrás, segundo a CIARA-CEC.

Em setembro, foram esmagadas 2,31 milhões de toneladas de soja, ante 3,23 milhões no mesmo mês do ano anterior.

As exportações de soja durante os primeiros nove meses do ano totalizaram 4,33 milhões de toneladas, menos da metade dos 10,41 milhões de toneladas do ano anterior, de acordo com o Serviço Nacional de Sanidade e Qualidade Agroalimentar (Senasa).

Nos primeiros nove meses do ano, foram exportadas 10,43 milhões de toneladas e farelo de soja, contra 9,53 milhões de toneladas no ano anterior. As exportações de óleo de soja no mesmo período somaram 2,48 milhões de toneladas, enquanto um ano antes totalizaram 2,21 milhões de toneladas.

A safra 2008/2009 da Argentina foi atingida por forte seca e teve a produção reduzida em cerca de um terço de seu potencial. De acordo com a Bolsa de Cereais de Buenos Aires, a produção 2008/2009 resultou em 32 milhões de toneladas, ante 46 milhões de toneladas no ciclo anterior.

A Argentina é o maior exportador mundial de farelo e óleo de soja, e está em terceiro lugar em exportação de soja, atrás apenas de Estados Unidos e Brasil. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.