Tamanho do texto

TÓQUIO - As exportações do Japão cresceram em fevereiro em seu maior ritmo em três décadas, impulsionadas pelo setor automotivo, um aparente sinal de que a crise da Toyota, a maior multinacional japonesa, não causou o golpe esperado.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237562713721&_c_=MiGComponente_C

Segundo informou o Ministério de Finanças do Japão nesta quarta, em fevereiro as exportações do país cresceram pelo terceiro mês consecutivo. A alta, de 45,3% ajudou a balança comercial a alcançar um superávit de 651 bilhões de ienes (5,3 bilhões de euros).

As exportações, vitais para uma economia centrada na indústria e no setor exterior como o Japão, somaram 5,12 trilhões de ienes (42 bilhões de euros), e cresceram em todas as regiões do mundo, sobretudo para a Ásia e aos Estados Unidos.

As vendas de bens japoneses na Ásia aumentaram 55,7%, até 2,77 trilhões de ienes (22,8 bilhões de euros). Para os EUA, as exportações subiram 50,4%, até supor 837 bilhões de ienes (6,9 bilhões de euros), em grande parte pelo aumento nas vendas de carros, apesar da tempestade Toyota.

O Governo japonês acredita que os problemas do líder mundial do setor automotivo, que desde o final de 2009 realizou recalls de 8,5 milhões de veículos, não prejudicaram o grosso das exportações de carros do Japão, embora tenha destacado que, há um ano, a crise automotiva estava no ápice. EFE psh/fm

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.