Tamanho do texto

Resultado foi afetado pelo menor número de dias úteis decorrente do Carnaval, diz Bracelpa

selo

A indústria brasileira de papéis registrou retração de vendas em fevereiro, segundo levantamento divulgado nesta quinta-feira pela Associação Brasileira de Celulose e Papel (Bracelpa). Números preliminares apontam que as exportações somaram 157 mil toneladas em fevereiro, retração de 6,5% em relação a fevereiro do ano passado e de 3,7% em relação a janeiro deste ano. O resultado foi afetado pelo menor número de dias úteis decorrente do Carnaval.

As vendas domésticas acompanharam a tendência dos negócios no exterior e encolheram 1,2% na comparação com fevereiro de 2011 e 2,2% ante janeiro deste ano. O total comercializado internamente no mês passado ficou em 403 mil toneladas.

Com a retração dos indicadores em fevereiro, a indústria nacional amargou retração dos negócios no primeiro bimestre. As vendas domésticas encolheram 0,4% em relação aos dois primeiros meses de 2011, para 815 mil toneladas, enquanto as exportações caíram 6,2% na mesma base comparativa, para 320 mil toneladas.

A queda no volume exportado refletiu na retração da receita do setor com as vendas externas. No bimestre, a receita com exportações caiu 9,5%, para US$ 313 milhões. Os mercados onde a retração foi mais expressiva foram a China (-28,6%, para US$ 15 milhões), a Europa (-18,3%, para US$ 49 milhões) e a América Latina (-10,7%, para US$ 175 milhões).

Importações

Em contrapartida à retração das vendas nos mercados interno e externo, a indústria nacional pode comemorar em fevereiro a manutenção na tendência de queda das importações. As compras externas alcançaram 106 mil toneladas em fevereiro, retração de 12,4% em relação ao mesmo período do ano passado e de 11,7% sobre janeiro. Executivos do setor atribuem a queda ao maior controle do governo brasileiro à importação de papéis.

Com o menor volume das importações, a indústria acelerou a produção, que totalizou 801 mil toneladas em fevereiro. O resultado é 1,1% superior ao registrado no mesmo período do ano passado. No acumulado do primeiro bimestre, a produção teve alta de 0,5% ante 2011, para 1,621 milhão de toneladas.

O consumo aparente do setor, considerado o indicador de demanda da indústria papeleira, ficou em 750 mil toneladas no mês passado, alta de 0,7% em relação a fevereiro de 2011. Na comparação com janeiro, entretanto, o indicador encolheu 3,5%. No bimestre, o consumo aparente apresentou retração de 0,3%, para 1,527 milhão de toneladas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.