Tamanho do texto

HAMBURGO (Reuters) - As exportações de biodiesel da Argentina nos primeiros quatro meses de 2010 devem atingir um novo recorde, com intensas vendas para a Europa, apesar de protestos de produtores europeus do combustível verde sobre disputa injusta, disse a Oil World nesta terça-feira.

As exportações de biodiesel da Argentina entre janeiro e abril são estimadas pela consultoria em um recorde de 430 mil toneladas, uma alta de 200 mil toneladas em relação ao mesmo período do ano anterior.

HAMBURGO (Reuters) - As exportações de biodiesel da Argentina nos primeiros quatro meses de 2010 devem atingir um novo recorde, com intensas vendas para a Europa, apesar de protestos de produtores europeus do combustível verde sobre disputa injusta, disse a Oil World nesta terça-feira.

As exportações de biodiesel da Argentina entre janeiro e abril são estimadas pela consultoria em um recorde de 430 mil toneladas, uma alta de 200 mil toneladas em relação ao mesmo período do ano anterior.

Do total deste ano, 410 a 415 mil toneladas devem ser vendidas para a União Europeia e cerca de 15 mil toneladas para o Peru.

Produtores europeus de biodiesel estão insatisfeitos com o aumento das vendas argentinas para sua região, alegando que elas são mais baratas por conta de taxas especiais para a Argentina.

O país sul-americano começou a mistura obrigatória de biodiesel em combustível fóssil no início de 2010, uma medida que poderia reduzir os volumes de combustível verde disponíveis para exportação.

No entanto isso não aconteceu, disse a Oil World. As exportações argentinas de biodiesel caíram em abril para cerca de 100 mil toneladas, mas ainda estão acima das 87 mil toneladas em abril de 2009.

Os elevados preços para o biodiesel estão encorajando as exportações em vez de vendas de óleo de soja, que é usado na Argentina para produzir o combustível verde, disse a Oil World.

(Reportagem de Michael Hogan)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.