Tamanho do texto

Serviços, administração pública e construção são os melhores setores

No próximo trimestre, 45% dos empregadores brasileiros esperam ampliar o número de funcionários de suas empresas, segundo a Pesquisa de Expectativa de Emprego da Manpower divulgada hoje. Por outro lado, 6% preveem redução no número de vagas no período, o que dá uma "expectativa líquida de emprego" de 39%.

Em 32, dos 41 países pesquisados, os empregadores esperam aumentar o quadro de funcionários nos próximos três meses em diferentes níveis. Os empregadores brasileiros, no entanto, assim como aqueles da Índia (44%), Taiwan (31%) e Peru (27%), são os mais otimistas, com as "expectativas líquidas de emprego" mais altas. Na outra ponta da tabela, aparecem com "expectativas líquidas de emprego" negativas a Grécia (-13%), a Espanha (-8%), a República Tcheca (-4%) e a Hungria (-3%).

No Brasil, a "expectativa líquida de emprego" registrada em relação ao segundo trimestre de 2012 é um pouco maior do que a expectativa captada em relação ao primeiro trimestre do ano (33%) e ligeiramente menor do que no segundo trimestre de 2011 (40%).

Os setores com as "expectativas líquidas de emprego" maiores no país são serviços (55%), administração pública a educação (46%) e construção (40%).

Para Riccardo Barberis, CEO da Manpower Brasil, muitos empregadores já estão recrutando profissionais para preencher posições estratégicas nos setores de turismo, logística e engenharia para atender as demanas da Copa do Mundo de 2014, o que explicaria os números da pesquisa, além do "crescimento sustentável" dos setores de serviços e da construção.

No mundo, mais de 65 mil empregadores foram entrevistados. No Brasil, a amostra reuniu 850 pessoas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.