Tamanho do texto

O fluxo líquido de capital para os Estados Unidos foi positivo em US$ 68,2 bilhões em abril, em comparação com os US$ 127,1 bilhões de março, informou hoje o Departamento do Tesouro

selo

O fluxo líquido de capital para os Estados Unidos foi positivo em US$ 68,2 bilhões em abril, em comparação com os US$ 127,1 bilhões de março, informou hoje o Departamento do Tesouro. As compras líquidas de notes e bônus do Tesouro somaram US$ 23,34 bilhões em abril, ante os US$ 26,78 bilhões de março. Os investidores privados estrangeiros venderam US$ 751 milhões em notes e bônus do Tesouro em abril, depois de comprarem US$ 19,54 bilhões no mês anterior.

O dado sobre transações líquidas de títulos de longo prazo, bastante observado pelo mercado, mostrou que um total de compras de US$ 30,6 bilhões em abril, depois das compras de US$ 24 bilhões em março. Mais amplamente, as compras líquidas de títulos de longo prazo dos EUA incluindo transações que não ocorrem no mercado aberto somaram US$ 18,9 bilhões em abril, ante as compras líquidas de US$ 11,7 bilhões no mês anterior.

O relatório mensal do Tesouro destaca as aquisições entre fronteiras de títulos com vencimento de mais de um ano, incluindo transações fora do mercado, como swaps (contratos de troca) de ações e pagamento do principal sobre títulos lastreados em ativos.

China

A China comprou Treasuries (títulos públicos do Tesouro dos EUA) em abril, aumentando seus ativos após cinco meses consecutivos de venda líquida e continuou sendo o maior detentor estrangeiro de bônus norte-americanos, informou o Departamento do Tesouro. O país asiático aumentou sua posição em US$ 7,6 bilhões, para US$ 1,153 trilhão, após vendas líquidas de mais de US$ 9,2 bilhões em março. Analistas alertaram, no entanto, que os dados podem não refletir o espectro completo da atividade da China no mercado.

Recentemente, o Tesouro ajustou sua estimativa dos ativos detidos pela China com base no uso de representantes em outros países. Além disso, embora a China tenha reduzido sua posição líquida, por meio da venda de dívida de curto prazo do Tesouro, analistas dizem que o país têm aumentado sua exposição à dívida de longo prazo.

O Japão diminuiu levemente sua posição em Treasuries, para US$ 906,9 bilhões em abril, ante US$ 907,9 bilhões em março. O país permaneceu como o segundo maior detentor de títulos dos EUA. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.