Tamanho do texto

A economia americana está passando pela recessão mais severa e prolongada desde a Grande Depressão dos anos 30, segundo os economistas ouvidos numa pesquisa mensal realizada pelo Wall Street Journal (WSJ), com resultados publicados nesta sexta-feira.

O Produto Interno Bruto (PIB) da maior economia do mundo deverá reduzir-se durante o atual trimestre, assim como nos dois primeiros trimestres de 2009, segundo 54 economistas consultados pelo jornal.

"Em média, os economistas esperam que este declínio econômico termine em junho de 2009", segundo o WSJ.

Se as previsões forem corretas, será a primeira vez desde 1945 que o PIB americano se contrai durante quatro trimestres consecutivos.

No terceiro trimestre encolheu 0,5% em relação ao precedente, em ritmo anual.

No início de dezembro, o Nber (Escritório Nacional de Pesquisa Econômica, na sigla em inglês) informou oficialmente que os Estados Unidos haviam entrado em recessão, e que o começo dessas dificuldades remontava a dezembro de 2007.

O Nber é considerado um dos principais institutos de economia dos EUA e responsável por avaliar quando o país está oficialmente em recessão ou não e quando esta acabou.

Se a recessão ficar até junho, como é o esperado, "o período de declínio será de dezoito meses, o mais prolongado desde a Grande Depressão, destacou o WSJ. As recessões de 1973-1975 e de 1981-1982 duraram dezessseis meses cada uma.

A equipe econômica que tomará posse no dia 20 de janeiro com o novo governo Barack Obama se vê favorecida pelo bom conceito dos economistas.

maj/fga/sd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.