Tamanho do texto

Entre as empresas americanas que divulgam balanços nesta terça-feira, destaque para o resultado da IBM, Johnson & Johnson, Continental Airlines e da Thornburg Mortgage. A gigante do setor de tecnologia obtém mais da metade de sua receita de contratos de serviços de longo prazo e licenças de software recorrentes.

Isso a torna menos sujeita a mudanças nos gastos de grandes clientes em comparação com suas rivais, que são mais dependentes da venda de hardware. De fato, os serviços induziram a melhora do desempenho nos primeiros três trimestres de 2008. Contudo, com as economias desacelerando forte ao redor do mundo, os investidores estão apostando que a taxa de crescimento das vendas da IBM ficou estável e os analistas vêm podando suas estimativas de lucro.

Historicamente, a IBM obtém a maior parte de sua receita de companhias americanas. Os problemas desse setor e os cortes de custos podem significar mais trabalhos terceirizados para a IBM. Mas aquelas firmas também provavelmente vão adiar novos grandes projetos e isso vai esfriar as altamente rentáveis vendas de software e a demanda por aplicações de desenvolvimento de trabalho.

Na média, os analistas entrevistados pela Thomson Reuters esperam que a IBM anuncie um lucro líquido de US$ 3,03 por ação no quarto trimestre, de um lucro de US$ 2,80 por ação registrado em igual período de 2007. Para a receita, os analistas preveem um total de US$ 28,28 bilhões no quarto trimestre, levemente abaixo do resultado do último trimestre de 2007.

Com relação ao resultado da J&J, os atrasos na aprovação de drogas e crescente concorrência dos genéricos da forma oral do seu antipsicótico Risperdal - líder em vendas -, tornaram o quarto trimestre mais duro para a divisão farmacêutica da companhia - a maior em termos de vendas. Além disso, flutuações cambiais, que a favoreceram por algum tempo, se tornaram desfavoráveis e isso continuará em 2009, segundo o analista do UBS Bruce Nudell. A divisão de saúde do consumidor da J&J desfrutou de crescimento na receita de dois dígitos em cada um dos três primeiros trimestres do ano passado, mas o declínio econômico pode ter induzido os consumidores a cortarem gastos com produtos de beleza e saúde pessoal.

Na média, os analistas entrevistados pela Thomson Reuters esperam que a J&J anuncie um lucro de US$ 0,92 por ação no quarto trimestre, de um lucro de US$ 0,82 por ação registrado em igual período de 2007, que inclui um encargo de reestruturação de US$ 0,06 por ação. Para a receita, os analistas esperam um total de US$ 15,97 bilhões no quarto trimestre, de US$ 15,96 bilhões obtidos em igual período de 2007. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.