Tamanho do texto

LUCIELE VELLUTO luciele.velluto@grupoestado.

LUCIELE VELLUTO luciele.velluto@grupoestado.com.br Os benefícios oferecidos aos trabalhadores por grandes empresas deixaram de ser algo apenas para os profissionais contratados. Hoje, os estagiários estão incluídos na maioria dos programas de benefícios e isso é utilizado como forma de atrair e reter os talentos nas companhias. O mercado tem atualmente pouco mais de 11 mil vagas abertas de estágio em todo os País e boa parte das empresas oferece benefícios que vão além do exigido por lei, que é o auxílio-transporte e férias de 30 dias no caso de um ano de estágio, com jornada diária de seis horas. Algumas empresas dão vale-refeição, plano de saúde e até massagem e aulas de ioga para elevar a qualidade de vida dos seus futuros funcionários. "Quando se coloca o estagiário em condições de igualdade ao trabalhador, tem-se um resultado melhor desse profissional em formação", diz Eduardo de Oliveira, superintendente do Centro de Integração Empresa-Escola (Ciee). A inclusão dos benefícios nos programas busca atender a chamada Geração Y, grupo de novos profissionais nascidos a partir da década de 80, com grande contato com tecnologia e que buscam desenvolvimento e sucesso profissional rápido. "Essa geração quer participar e ser incluída na empresa. Ela quer retorno e cobra que a empresa estimule o seu desenvolvimento. Se tudo isso for oferecido, o estagiário vai se sentir valorizado e vai trabalhar com o intuito de fazer carreira na companhia", afirma Ana Paula Priminini, gerente de recursos humanos da Vicunha Têxtil, empresa que foi premiada pelo Ciee como a melhor para estagiar em 2009. A Vicunha aproveita 90% de seus estagiários no quadro de funcionários. A Procter & Gamble também utiliza o programa de benefícios para atender a geração cada vez mais exigente de estagiários. "Com um pacote de benefícios extremamente competitivo conseguimos atrair e ter os melhores talentos. O programa de estágio é a nossa maior e principal fonte de recrutamento. Aproveitamos 80% dos estagiários, que poderão ser nossos futuros gerentes, diretores e presidentes da empresa", afirma Carlos Relvas, diretor de recursos humanos da companhia. Para o estagiário da Vicunha na área de tecnologia da informação, Cassio Puterman, de 22 anos, que estuda administração na Fundação Getúlio Vargas (FGV), os benefícios fazem a diferença para quem está iniciando a carreira. "Sinto que pertenço à empresa. E isso ajuda a me desenvolver aqui, que é o meu objetivo", afirma. Na visão da estagiária de marketing da Procter & Gamble, Carla Cerqueira, de 21 anos, estudante de comunicação e marketing da ESPM, os benefícios oferecidos são uma forma de valorizar os novos talentos. "Os benefícios agregam valor ao meu estágio e a mim enquanto profissional em formação", afirma. Ela se forma em junho e, segundo ela, a empresa já garantiu que a contratará para a área em que estagia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.