Tamanho do texto

A Câmara tenta resolver um impasse na votação na semana passada da medida provisória de reajuste das aposentadorias. Foi descoberto um erro que deixou o texto aprovado com os dois índices, 7%, como foi negociado pelo relator e líder do governo, Cândido Vaccarezza (PT-SP), e 7,7%, de acordo com a emenda do deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP).

A Câmara tenta resolver um impasse na votação na semana passada da medida provisória de reajuste das aposentadorias. Foi descoberto um erro que deixou o texto aprovado com os dois índices, 7%, como foi negociado pelo relator e líder do governo, Cândido Vaccarezza (PT-SP), e 7,7%, de acordo com a emenda do deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP). O texto de Vaccarezza fixa o índice de 7% de correção no artigo que dá a regra geral do projeto e o mesmo índice na tabela anexa, que trata da proporcionalidade de índices de acordo com o mês da aposentadoria. A emenda do deputado Paulinho alterou apenas a tabela anexa, mantendo o artigo geral com os 7% de reajuste. <i>As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.</i>

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.