Tamanho do texto

Quito, 12 dez (EFE).- O presidente do Equador, Rafael Correa, declarou hoje uma moratória ao pagamento da dívida externa de seu país, cujos alguns lotes considera ilegítimos, e disse que não abonará uma parcela de juros dos bônus Global 2012 que vencia na próxima segunda-feira.

Correa, em uma declaração na cidade portuária de Guayaquil (sudoeste), assegurou que já deu a ordem para que não sejam transferidos os US$ 30,6 milhões do pagamento dos juros dos Bônus Global 2012, que somam um total de US$ 3,8 bilhões.

O presidente disse que está disposto a assumir toda a responsabilidade dessa decisão, que poderia implicar em eventuais reivindicações dos credores.

Além disso, insistiu em que não pagará os lotes da dívida externa considerados ilegítimos pela Comissão para a Auditoria Integral do Crédito Público (Caic), que averiguou os passivos internacionais do Equador nos últimos 30 anos.

Essa comissão encontrou sérios indícios de supostas ilegalidades na contratação de certos créditos internacionais, o que levou a Promotoria a iniciar uma indagação prévia contra vários ex-governantes.

Além disso, o Governo equatoriano empreendeu uma ofensiva regional para expor o relatório de auditoria de sua dívida externa em vários países da América. EFE fa/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.