Tamanho do texto

PEQUIM (Reuters) - A Mongólia selecionou oito potenciais parceiros para um projeto de carvão siderúrgico, entre eles a brasileira Vale, de acordo com Temuulen Ganzorig, vice-diretor da Erdenes MGL, companhia do governo que terá ao menos 51 por cento de participação no empreendimento. Ganzorig disse nesta sexta-feira que entre os pré-selecionados estão a australiana BHP Billiton, a indiana Jindal, a brasileira Vale, a norte-americana Peabody e a chinesa Shenhua, assim como o consórcio sul-coreano Copec, um grupo de companhias japonesas e um consórcio russo que inclui a Gazprom e a Renova.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237577445200&_c_=MiGComponente_C

"Existem viabilidades a serem esclarecidas, opções como dividir os depósitos em dois a três blocos", disse ele a repórteres em uma conferência em Pequim.

A Mongólia vai selecionar os vencedores até o final deste ano, disse o vice-ministro de Recursos Minerais e Energia na quarta-feira.

A Mongólia contratou o JPMorgan e o Deutsche Bank para vender uma participação de até 49 por cento na mina.

Tavan Tolgoi, que possui reservas estimadas de 6,5 bilhões de toneladas de carvão siderúrgico, pode ser dividida entre ofertantes de China, Rússia e uma mineradora internacional, disseram fontes à Reuters anteriormente.

(Por Chen Aizhu)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.