Tamanho do texto

SÃO PAULO - O grupo alemão ThyssenKrupp reverteu o prejuízo de 630 milhões de euros apurado um ano antes e reportou ganhos de 298 milhões de euros no terceiro trimestre fiscal, encerrado em junho. O desempenho marca o melhor resultado da companhia em sete trimestres.

Na esteira do bom desempenho, a Thyssen melhorou a expectativa ao resultado consolidado do exercício, citando também ganhos decorrentes dos programas de redução de custos. Segundo as estimativas, o lucro antes de juros e impostos (excluindo itens não recorrentes) deverá superar 1 bilhão de euros, apesar da tendência de um impacto significativo das perdas ligadas ao início de operações siderúrgicas nas Américas. Nesse ponto, cabe lembrar que os alemães são sócios da mineradora Vale na Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA), inaugurada em junho para produzir 5 milhões de toneladas de placas de aço. Com um orçamento de 5,2 bilhões de euros, a unidade corresponde ao maior investimento no exterior já feito pelo grupo na história. Nos nove primeiros meses do ano fiscal, a companhia acumulou 1,418 bilhão de euros em lucro antes de juros e impostos (Ebit, na sigla em inglês), revertendo perdas de 466 milhões de euros nessa linha um ano antes. "A demanda melhorou significativamente em nossos principais setores e mercados. Mas, com a continuidade do ambiente econômico volátil, continuaremos sistematicamente com nossa escolha de contínua otimização estrutural", afirma Ekkehard Schulz, presidente da ThyssenKrupp AG. De abril a junho, as vendas da empresa subiram 26%, na comparação anual, para 11,679 bilhões de euros. (Eduardo Laguna | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.