Tamanho do texto

Siderúrgicas europeias pedem tarifas contra tubulações chinesas

Siderúrgicas da Alemanha e da Espanha pediram a imposição de novas tarifas sobre tubulações de aço produzidas na China usadas no setor petrolífero, ressaltando a preocupação de que o país asiático está se beneficiando mais da recuperação econômica da Europa que a própria indústria do continente.

A alemã Salzgitter e a produtora espanhola de tubos Tubacex afirmam que tubulações de aço inoxidável distribuídas na Europa por exportadores chineses possuem preços ilegalmente baixos, gerando uma guerra de preços conforme a demanda europeia cresce, segundo documentos enviados pelas empresas à Comissão Europeia.

"A indústria da comunidade europeia conseguiu manter sua participação de mercado praticamente constante, mas foi forçada a baixar drasticamente seus preços e lucratividade", afirma a reclamação.

A Comissão Europeia deve responder ao pedido lançando uma análise do assunto este mês, disseram diplomatas europeus.

Em 2009, a China forneceu cerca de um sexto da demanda por tubos da União Europeia, de 500 milhões de euros. No primeiro trimestre de 2010, com a demanda europeia crescendo, a participação da China cresceu para 18,3 por cento, afirmam a Salzgitter e a Tubacex.

A queixa sustenta que práticas chinesas ilegais de preços estavam pressionando outros exportadores, enquanto a "enorme capacidade" do país propiciada por "pesados subsídios e descontos em tarifa de exportação" representam uma ameaça de longo prazo à indústria europeia.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.