Tamanho do texto

Juntas, elas atingiram faturamento de R$ 130,99 bilhões; em 2009, o resultado conjunto havia sido de R$ 102,86 bilhões

selo

O Ranking das Transnacionais Brasileiras 2011 , divulgado nesta quarta-feira pela Fundação Dom Cabral, mostra que as receitas no exterior das 20 primeiras empresas da lista cresceram 27,3% em 2010 na comparação com 2009. Juntas, elas atingiram R$ 130,99 bilhões. Em 2009, o resultado conjunto havia sido de R$ 102,86 bilhões.

O aumento de 27,3% no exterior ficou abaixo do índice de 45,3% de crescimento das receitas obtidas no mercado interno, mas representou a superação dos resultados ruins de 2009, já que em 2008 as 20 maiores haviam faturado R$ 121,99 bilhões no exterior.

No total das receitas obtidas em 2010 pelas 20 maiores, a participação do exterior ficou em 38,2%, ante 41,4% em 2009 e 42,8% em 2008. Em relação ao total de ativos, a participação do exterior passou de 34,8% em 2008 para 31,6% em 2009 e 34,6% em 2010. Já o participação do número de funcionários no exterior passou de 34% em 2008 para 31,2% em 2009 e 30,5% em 2010.

Em 2010, o grupo das 20 maiores tinha ativos de R$ 209,91 bilhões e 216.563 funcionários no exterior. Os ativos cresceram 32,7% e o número de funcionários subiu 9,1% em relação a 2009.

"Não é possível imaginar uma empresa competitiva e autônoma que restrinja sua atuação no mercado brasileiro", afirmou o professor da Fundação Dom Cabral e coordenador do ranking, Sherban Leonardo Cretoiu. "Se a empresa não crescer lá fora, corre o risco de ser internacionalizada de fora para dentro."