Tamanho do texto

Documentos que oficializam criação da nova empresa estão sendo assinados

selo

A Raízen, joint venture entre a Shell e a Cosan, deve oficializar a união da duas empresas nos próximos dias. "Já estamos assinando os documentos finais para o início das atividades oficiais da Raízen", afirmou hoje o vice-presidente de etanol, açúcar e bioenergia da Raízen, Pedro Mizutani. O executivo disse que na safra 2011/12 a produção de açúcar da Raízen deverá atingir 4,4 milhões de toneladas, crescimento de 12,8% em relação a produção de 3,9 milhões de toneladas da safra anterior.

Já a produção de etanol deverá crescer de 2 bilhões para 2,2 bilhões de litros, expansão de 10%. Segundo Mizutani, o mix de produção da atual safra deve continuar estável, em 55% voltado para açúcar e 45% para etanol.

O vice-presidente ressalta que a Raízen está concentrando os investimentos neste momento para elevar sua capacidade instalada de produção nas 24 usinas de atuais de 62 milhões de toneladas para 70 milhões de toneladas. Esse aumento de cana disponível deve consumir investimentos anuais de R$ 1 bilhão nos próximos cinco anos. "Apenas na renovação dos canaviais a produção aumenta 10%", disse ele.

Novos investimentos

Mizutani lembrou, porém, que os atuais preços do açúcar no mercado internacional, embora remuneradores, não incentivam a realização de novos investimentos. Na Bolsa de Futuros de Nova York, o preço do açúcar está entre 22 e 23 cents por libra. Segundo ele, o custo de produção do setor brasileiro, considerando o atual câmbio, está entre 18 e 20 cents por libra. "Para incentivar novos investimentos em greenfields, o preço tem que subir para 26 cents por libra", afirmou.

A Raízen já iniciou a migração para a marca Shell dos postos de combustíveis com a bandeira Esso. Segundo o vice-presidente, dois postos já efetivaram a troca de marca e identidade visual e nos próximos três anos todos os 1.700 postos com a marca Esso/Cosan darão lugar à bandeira Shell/Raízen. Quando a migração estiver completa, a Raízen terá 4.500 postos em todo o Brasil, ao lado da Ipiranga na segunda colocação no ranking de maior rede de postos, perdendo apenas para a BR Distribuidora.

Mizutani lembrou que hoje os postos Esso possuem a marca Esso em destaque, seguida da marca Cosan em letras menores. Nos novos postos entra a marca Shell com destaque seguida pela marca da Raízen. A migração teve início no interior paulista, em postos das cidades de Campinas e Piracicaba.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.