Tamanho do texto

Ex-diretor financeiro e dois gerentes da montadora alemã foram acusados de fraude de crédito na tentativa de compra da Volkswagen

selo

Ex-diretor financeiro da Porsche foi acusado de ter cometido fraude de crédito
Divulgação
Ex-diretor financeiro da Porsche foi acusado de ter cometido fraude de crédito
O ex-diretor financeiro da montadora alemã Porsche Holger Haerter e dois gerentes foram formalmente acusados de terem cometido fraude de crédito em uma fracassada tentativa de aquisição da Volkswagen , informou nesta terça-feira a companhia.

Leia também: Fundos processam Porsche em corte na Alemanha

A promotoria pública de Stuttgart especificou que três pessoas foram indiciadas por fornecimento de informações incorretas durante as negociações de um financiamento de 10 bilhões de euros com vencimento em março de 2009. O advogado de Haerter não estava imediatamente disponível para comentar o assunto, mas a agência de notícias DPA informa que o defensor disse que seu cliente rejeita as acusações.

A Porsche diz que as duas outras pessoas indiciadas não chegaram a atuar como executivos da montadora. Segundo a promotoria de Stuttgart, porém, os dois trabalharam no departamento de finanças da Porsche e pelo menos um deles ainda está lá. Em um memorando por escrito enviado a um banco, os três acusados afirmavam que as exigências de liquidez para se exercer opções de compra estavam 1,4 bilhão de euros abaixo do que realmente estavam, segundo a promotoria.

Eles também são acusados de ocultar que a Porsche havia repassado opções de venda de aproximadamente 45 milhões de ações ordinárias da Volkswagen. Enquanto isso, prossegue a investigação de manipulação do mercado e apropriação indébita contra ex-integrantes do conselho da Porsche, que em 2009 tentou, sem sucesso, adquirir a Volkswagen. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.