Tamanho do texto

Rio de Janeiro - A Petrobras desenvolveu uma tecnologia que permite produzir diesel vegetal de alta qualidade a partir da mamona, superando, assim, um dos maiores obstáculos do programa nacional de biocombustíveis, informaram nesta terça-feira fontes oficiais.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237575438769&_c_=MiGComponente_C

"A Petrobras completou no mês passado o processo tecnológico que permite transformar óleo de mamona em um biodiesel com as especificidades técnicas exigidas pelos reguladores", diz o presidente da Petrobras Biocombustíveis, Miguel Rossetto, em entrevista coletiva.

Segundo Rossetto, "a Petrobras agora domina a tecnologia para a produção de biodiesel a partir de mamona". Ele também afirmou que a empresa já está produzindo um biodiesel que utiliza 30% do óleo das sementes da planta e 70% de óleo de girassol.

Apesar de o programa de biocombustíveis da Petrobras ter foco na mamona, muito comum na região Nordeste e que cresce em terras pouco férteis, a empresa até agora não tinha produzido, a partir das sementes, um combustível adequado para os motores a diesel.

A Agência Nacional de Petróleo (ANP) chegou a advertir, em 2008, que o óleo de mamona, por ter uma viscosidade três vezes superior à de outros óleos vegetais, era mais apropriado para outros usos energéticos que para o biodiesel.

A Petrobras, que conta com três centros de produção de biodiesel, utiliza principalmente soja como matéria-prima.

A nova tecnologia, desenvolvida pelos pesquisadores do Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes) na Unidade de Biocombustíveis de Guamaré (RN), já foi transferida às outras centrais, segundo Rossetto.

Desde o dia 28 de outubro, a empresa processou 2.112 toneladas de mamona. A tecnologia vai reduzir a dependência que a Petrobras tem da soja, criticada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, pois o produto, além de se ser um alimento básico, tem seu preço determinado pelo mercado internacional.

As três centrais de produção de biodiesel da estatal têm capacidade para produzir, juntas, 324 milhões de litros de diesel vegetal ao ano, volume 90% superior ao previsto inicialmente.

A produção de biodiesel da Petrobras tem mercado garantido devido a uma medida que entrou em vigor há dois anos e obriga aos distribuidores a misturar diesel vegetal ao diesel mineral que é utilizado em todo o país.

Inicialmente, exigia-se uma mistura de 3% de diesel vegetal, mas atualmente a percentagem exigida é de 5%.

Leia mais sobre: biodiesel

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.