Tamanho do texto

Apos governo vetar plano de negocios, estatal busca alternativas para se enquadrar na nova realidade do Pais

A pedido do governo, a Petrobras poderá apresentar investimentos menores do que os inicialmente planejados para os próximos cinco anos. O diretor financeiro e de relações com investidores da Petrobras, Almir Barbassa, admitiu que há alternativas em estudo pela companhia que contemplam investimentos menores no seu plano de negócios. A empresa é conhecida mundialmente por exibir um dos maiores planos de investimento do mundo, com vistas à exploração do óleo do pré-sal.

"O Conselho pediu que fizéssemos avaliações, estudos de sensibilidade diversos sobre plano que estamos formatando de 2011 a 2015. Há estudos que contemplam capex menor, mas esse não é o único tipo de avaliação que estamos contemplando", afirmou o executivo nesta terça-feira (17), durante conferência para analistas de mercado.

No ano passado, a Petrobras divulgou investimentos previstos de US$ 224 bilhões para realizar entre 2010 e 2014. Os maiores projetos estão na área de exploração e refino, na construção de sondas, plataformas e refinarias. O planejamento é revisto a cada ano e a empresa estava prestes a informar novos valores para o período de 2011 a 2015. A expectativa, segundo fontes, era de um plano ainda mais robusto.

Em plena fase de corte de gastos para segurar a inflação, o governo, na figura de maior acionista da empresa, não aprovou a cifra apresentada pela diretoria ao Conselho de Administra, na última-sexta-feira (13).

Em balanço divulgado nesta sexta-feira, a companhia informou ter investido no primeiro trimestre de 2011 o total de R$ 15,871 bilhões - uma queda de 11% na comparação com o total investido no mesmo período de 2010.