Tamanho do texto

Empresário afirmou que não quer e nem irá fazer o IPO da EBX

selo

O empresário Eike Batista afirmou nesta segunda-feira que não pretende levar as ações da EBX à bolsa. "Não quero e não vou fazer", disse há pouco o executivo em entrevista ao Grupo Estado, rechaçando realizar uma oferta pública inicial de ações (IPO, em inglês). Eike revelou que seu objetivo é continuar listando as companhias controladas pela EBX que ainda não são negociadas em bolsa, como a AUX, que detém reservas de ouro na Colômbia, e a REX, que atua no setor imobiliário.

"Eu prefiro abrir o capital das empresas embaixo", declarou o empresário. Perguntado sobre o destino do investimento de US$ 2 bilhões na EBX pelo fundo Mubadala , dos Emirados Árabes Unidos, Eike não deu detalhes. "Posso usar (o montante) como quiser", disse o executivo. Ele ressaltou a confiança depositada pelo novo sócio na empresa.

"É uma parceria que confirma a EBX como plataforma de crescimento do Brasil", declarou. O executivo declarou que a expectativa em relação aos novos projetos do grupo EBX pesaram para a Mubadala no momento de fechar a parceria, que lhe dará participação de 5,63% na EBX.

"Temos no nosso pipeline uma mina do ouro que é enorme e temos a REX, que também é gigante", disse o executivo, reafirmando também seu interesse no setor de fertilizantes, depois das descobertas de gás no Maranhão pelo grupo EBX.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.