Tamanho do texto

Autoridade japonesa ressalta a utilidade das redes sociais após o tsunami

Durante visita ao Japão, o presidente do Facebook, Mark Zuckerberg, se reuniu nesta quinta-feira com o primeiro-ministro do país, Yoshihiko Noda, que ressaltou a utilidade das redes sociais após a catástrofe de 11 de março.

Mark Zuckerberg e o premiê japonês Yoshihiko Noda em momento de descontração
AP Photo/Yuriko Nakao, Pool
Mark Zuckerberg e o premiê japonês Yoshihiko Noda em momento de descontração

Um porta-voz do escritório do primeiro-ministro japonês disse à Agência Efe que Noda elogiou durante a reunião a eficácia de ferramentas como o Facebook para conhecer o estado dos afetados pelo terremoto e o tsunami que devastaram o nordeste do Japão em 2011.

Vestido com traje escuro, pouco habitual para ele, Zuckerberg explicou a Noda os testes que sua empresa realizou no Japão em fevereiro de seu chamado "Disaster Message Board", uma nova função que permite ao usuário notificar a todos seus contatos da rede social que se encontra são e salvo quando acontece um desastre.

Noda expressou esperança de que o Facebook possa contribuir à emissão de informações para a prevenção de catástrofes.

O chefe do Governo japonês também comentou a Zuckerberg que seu escritório abriu uma conta no Facebook que permite comunicar uma grande quantidade de informações sobre o Japão ao exterior.

Noda fez um comentário divertido quando cumprimentou o presidente do Facebook, ao dizer como é estranho conhecê-lo pessoalmente após ter visto o filme "A rede social", que relata a criação da empresa de Zuckerberg.

O empresário e programador americano, que visita Tóquio para apresentar uma oficina no evento Mobile Hack, com o objetivo mostrar aos desenvolvedores as possibilidades da plataforma para celulares do Facebook, já esteve em 2008 no país asiático para promover sua empresa.

Parada na China

Zuckerberg e sua namorada Priscilla Chan passeiam pelo centro de Shanghai
AP Photo
Zuckerberg e sua namorada Priscilla Chan passeiam pelo centro de Shanghai
Ontem, Zuckerberg estava na China em viagem aparentemente privada, embora coincida com a estadia no país do presidente-executivo da Apple, Tim Cook , por isso poderia se tratar de uma visita de negócios, aponta o um jornal 'Dongfang Ribao'.

Por enquanto, não se sabe se a passagem de Zuckerberg pelo gigante asiático inclui contatos com autoridades e visitas às principais empresas de internet no país, como Baidu, Sina e Alibaba, locais que fizeram parte de seu roteiro em 2010 na China.

    Leia tudo sobre: Facebook
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.