Tamanho do texto

Carteira de pedidos das seis construtoras chega a 266,9 bilhões de euros, dos quais 143,1 bilhões fora do país

As seis grandes construtoras espanholas, ACS, Acciona, FCC, Ferrovial, Sacyr e OHL, geraram em 2011, em conjunto, 60% de suas receitas fora da Espanha, somando volume internacional de negócios de 37,7 bilhões de euros. Pelos dados apurados pela Agência Efe, do faturamento total das seis companhias (63,1 bilhões de euros), todas presentes na América Latina, 59,7% foi obtido com contratos de construção e operação fechados nos anos anteriores e com a contribuição de filiais no exterior.

A carteira de pedidos das seis construtoras chega a 266,9 bilhões de euros, dos quais 143,1 bilhões ficam no exterior, o que representa 53,6%.

ACS é a companhia que maior percentual de faturamento obteve no exterior, 72,5% do total, em 2011 arrecadou 20,6 bilhões de euros fora da Espanha.

A OHL, presente em mais de 30 países, incluindo Argentina, Brasil e México, alcançou 70,4% da arrecadação no exterior (3 bilhões de euros), número que deve aumentar porque sua pasta de projetos fora da Espanha representa 89% do total (72,4 bilhões de euros). Para o presidente da OHL, Juan Miguel Villar Mir, 2011 foi um "ano excelente de contratos", assumiu "as três maiores obras de ferrovia do planeta e os dois maiores hospitais".

A Ferrovial teve desempenho semelhante além das fronteiras espanholas, concretamente, 55% do total (4 bilhões de euros). A FCC, por sua vez, gerou 52,4% de suas receitas de 2011 no exterior, o equivalente a 6,1 bilhões de euros.

Ao contrário das demais, Sacyr e Acciona obtiveram maior demanda interna. Sacyr fechou no exterior 37,2% de seus rendimentos (1,4 bilhão de euros) e a Acciona faturou 2,3 bilhões de euros fora da Espanha (35,2% do total).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.