Tamanho do texto

Os novos valores usam como referência a cotação do mercado à vista da China, que caiu nos últimos meses

selo

Depois de aplicar aumentos de 170% ao longo do ano, a Vale vai reduzir o preço do minério de ferro em cerca de 10% a partir de outubro. Resultado de uma política de revisão trimestral de preços adotada este ano pela mineradora, os novos valores usam como referência a cotação do mercado à vista da China, que caiu nos últimos meses.

O índice exato só será fechado na próxima terça-feira, mas as contas já apontam uma redução de preços entre 9% e 10%. "Deve ficar nesse patamar, a menos que aconteça alguma mudança drástica, algo que a esta altura parece muito difícil", diz José Carlos Martins, diretor executivo de Marketing, Vendas e Estratégia da Vale.

Como um quinto do aço produzido no mundo é feito com minério de ferro da Vale, a decisão da empresa brasileira tem forte impacto nas economias da Europa e da Ásia, principalmente. A mineradora não vai tornar públicos os novos preços - a partir de primeiro de outubro cada cliente receberá sua fatura com os valores atualizados.

Será a primeira vez que o novo sistema de revisão da Vale produz uma redução no preço do minério. Analistas calculam que o valor médio do minério mais vendido pela Vale deve cair de US$ 150 para cerca de US$ 135 a tonelada. "Nossos clientes pagarão menos do que os valores cobrados no mercado à vista da China, que está entre US$ 146 e US$ 147 por tonelada", afirma Martins. As informações são do jornal "O Estado de S. Paulo".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.