Tamanho do texto

Aumento de pessoal nas companhias e na Infraero, além de endosso de bilhetes e proibição de overbooking foram estabelecidos

As companhias aéreas prometeram disponibilizar 17 aviões extras, entre outras medidas, para evitar uma nova crise nos aeroportos no fim do ano. As seis maiores companhias aéreas brasileiras – TAM/Pantanal, Gol/Varig, Azul, Webjet, Avianca e Trip – se reuniram nesta terça-feira com a Infraero, Polícia Federal, Receita Federal, Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), da Aeronáutica; e a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), na sede da reguladora, no Rio, para definir medidas que garantam bom funcionamento do setor durante o período de festas e começo de férias, quando os aeroportos costumam ficar lotados.

Historicamente, em dezembro o número de passageiros é cerca de 11% superior à média do ano. E o acréscimo vai ocorrer sobre uma média já turbinada pelo aumento da renda: a demanda por transporte aéreo acumula, de janeiro a outubro deste ano, comparado ao mesmo período do ano passado, 25% de crescimento no mercado doméstico e 21,3% no segmento internacional, considerando apenas as rotas operadas por companhias brasileiras.

Ficou acertado que a TAM terá cinco aeronaves reserva, enquanto Gol e Trip, quatro aviões extras cada uma. Webjet disponibilizará dois aviões a mais. Avianca e Azul, por sua vez, acrescentarão uma aeronave à frota.

As empresas se comprometeram a aumentar também a quantidade de funcionários trabalhando nos serviços de atendimento ao cliente.Todas as posições de check-in serão preenchidas em horários de pico, segundo o acordo entre setor privado e autoridades. Incentivo ao check-in pela internet e via computadores disponibilizados nos aeroportos estão no plano para evitar um novo caos no setor. 

 Na reunião também foi proibida a prática de overbooking - venda de passagens além da oferta de voos. As empresas se comprometeram ainda a endossar bilhetes de suas concorrentes em caso de atrasos e outros imprevistos, aceitando passageiros de outras companhias quando necessário.

Infraero contrata 922 funcionários  

A Infraero, por sua vez, anunciou que vai adquirir novos bens para atender à forte demanda de passageiros: 54 ônibus, 30 microônibus, 100 veículos operacionais, 29 ambulâncias, 13.000 carrinhos de bagagens. Além do aparelhamento, informou a contratação de 922 funcionários para reforçar os serviços de operação, manutenção e navegação e planos de contingência para os 67 aeroportos que administra.

No caso dos voos internacionais, a Anac informa que a Polícia Federal manterá tripuladas todas as posições de controle de migração (checagem de passaportes) nos horários de maior movimentação. "Como alguns voos internacionais incluem escalas domésticas, as companhias aéreas terão de comunicar os passageiros que farão exclusivamente os trechos dentro do Brasil a chegarem antecipadamente ao aeroporto e ainda sobre as restrições de líquidos da bagagem de mão", informa a agência reguladora em comunicado.

A Anac vai intensificar a fiscalização. Proibiu férias e recessos para gerentes no período de 15 a 31 de dezembro de 2010. Será mantida a limitação de voos em Guarulhos, para evitar engarrafamento aéreo. A reguladora distribuirá cartilhas com as regras para os passageiros. 

"De 17 de dezembro de 2010 até 3 de janeiro de 2011, a ANAC terá uma equipe de 120 pessoas, entre inspetores, diretores e pessoal de apoio, nos períodos de manhã, tarde e noite em 11 aeroportos de todas as regiões do País: Galeão (RJ), Guarulhos e Congonhas (SP), Brasília (DF), Confins (MG), Porto Alegre (RS), Fortaleza (CE), Recife (PE), Salvador (BA), Vitória (ES) e Manaus (AM). As equipes fiscalizarão o atendimento e as providências tomadas pelas companhias aéreas, assim como o cumprimento da Resolução nº 141, em vigor desde junho deste ano, que determina os direitos dos passageiros nas viagens aéreas", acrescenta a Anac.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.