Tamanho do texto

Funcef se diz entusiasmada com projeto, mas ainda analisa a viabilidade

 Os fundos de pensão Petros, da Petrobras, e Funcef, da Caixa Econômica Federal, tiveram na terça-feira a primeira reunião técnica com o consórcio vencedor do leilão da usina hidrelétrica de Belo Monte, no rio Xingu (PA). De acordo como presidente da Funcef, Guilherme Lacerda, nos próximos dias a fundação deve decidir sobre a participação no negócio.

"Temos muito entusiasmo, mas ainda estamos olhando se é viável ou não", disse Lacerda a jornalistas após evento com a Vale nesta quarta-feira. Ele informou que também está avaliando se vai participar diretamente ou por meio da Cevix, empresa criada pela Funcef e a Engevix, sendo 25% da Funcef e o restante da construtora.

Presente no evento, o presidente da Petros, Wagner Pinheiro, também não deu detalhes da reunião, mas afirmou que está avaliando a participação. "Por enquanto ainda estamos analisando, a reunião foi ontem, temos que ver com calma", disse o executivo.

A usina hidrelétrica de Belo Monte será construída por um consórcio liderado pela Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), subsidiária da Eletrobras, que ofereceu deságio de 6% sobre o preço-teto estipulado para o leilão, de R$ 83 o megawatt-hora.

O consórcio poderá abrir espaço para investidores como os fundos de pensão e também para novos acionistas, como a Vale e outras empresas que estão dispostas a analisar possíveis parcerias.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.