Tamanho do texto

Acordo assinado permite à italiana ENI alienar a sua posição de 33,34% na Galp

Os acionistas de referência da portuguesa Galp Energia -Amorim Energia, Caixa Geral de Depósitos (CGD) e ENI- assinaram um novo acordo que permite à italiana ENI alienar a sua posição de 33,34% na Galp, anunciou a CGD nesta quinta-feira.

Pelos termos do documento firmado, a ENI tem o direito de vender no mercado até 18% do capital da Galp através de oferta pública de ações, "accelerated bookbuilding", "block trades", "overnight market transaction" e operações privadas a um conjunto de investidores institucionais identificados no acordo.

A estatal CGD tem um direito de exigir a venda da participação de que dispõe, de 1% da Galp, no âmbito da venda em mercado da participação de 18% na empresa pela ENI.

Já a Amorim Energia, que possui um terço da Galp, "assumiu a obrigação de comprar da ENI, ou de indicar um terceiro para comprar da ENI, uma participação de 5% do capital da Galp durante um período de 150 dias" contados a partir desta quinta-feira.

A CGD informou ainda que, após a venda desses 18% da Galp pela ENI e de um prazo de 180 dias a contar da assinatura do acordo, a ENI poderá vender o remanescente de sua participação no capital da Galp.

"Relativamente a essa participação remanescente, a Amorim Energia terá um direito de adquirir, ou de indicar um terceiro para adquirir no prazo de 12 meses a contar da data da assinatura do acordo, uma participação correspondente a 5% do capital da Galp e um direito de primeira opção de compra de um mínimo de entre 5,34% e 10,34% do capital da Galp Energia", informou a CGD.

As partes concordaram ainda em convocar imediatamente uma assembleia geral da Galp para aprovar uma proposta de alteração de estatutos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.