Tamanho do texto

Pedidos de indenização por danos elétricos podem ser enviados pelo site da empresa em até 90 dias após o incidente

selo

A AES Eletropaulo publicou hoje um anúncio em veículos de comunicação no qual "pede desculpas a todos os clientes que sofreram interrupção de energia por conta do ciclone extratropical que afetou a área de concessão da empresa, de mais de 4.500 quilômetros quadrados, na última terça-feira, dia 7". A companhia diz que "mobilizou todos os seus recursos para regularizar a situação das 600 mil unidades consumidoras afetadas".

De acordo com o comunicado, 1.800 profissionais foram direcionados à operação de restabelecimento do fornecimento de energia dos mais de 100 circuitos danificados pela queda de 260 árvores, toldos, telhas, placas e objetos arremessados contra a rede elétrica pelo ciclone. "O trabalho nas áreas atingidas foi ininterrupto e técnicos e engenheiros acompanharam em tempo real da Central de Operações da distribuidora o trabalho das equipes".

A empresa ressalta ainda que o atendimento do call center trabalhou com um contingente 50% maior (1.464 atendentes). "Além do atendimento telefônico convencional, a AES Eletropaulo disponibilizou canais alternativos para o atendimento à emergência, como SMS, site, chat, lojas, rede conveniada e internet móvel", diz a companhia.

"Lamentamos o desconforto vivenciado pelo nossos clientes e reforçamos o compromisso da AES Eletropaulo em agilizar a resolução dos pedidos de indenização por danos elétricos (PID)", acrescenta a empresa.

De acordo com o anúncio, os clientes podem acessar o formulário do PID no endereço eletrônico www.aeseletropaulo.com.br, nas lojas e na rede conveniada de atendimento e ainda por meio do call center. Os pedidos devem ser feitos no prazo de até 90 dias corridos, após o aparelho ter sofrido dano elétrico.

"A AES Eletropaulo reafirma seu compromisso em aprimorar continuamente a prestação do seu serviço e atendimento aos seus clientes. Para isso, mantém um plano de investimento que cresce à razão de 14% ao ano, cerca de 10% acima do aumento médio de demanda do mercado", afirma a companhia.

"Este ano, a concessionária está investindo R$ 720 milhões em manutenção preventiva e expansão da sua rede e até 2015 serão investidos R$ 3 bilhões." A AES Eletropaulo conclui o comunicado afirmando que entende "que situações climáticas mesmo sem precedentes, como a vivenciada pelo Estado de São Paulo no último dia 7 e que seguiu provocando transtornos nos Estados do Rio de Janeiro e de Minas Gerais, mostram que temos de nos adequar para melhor corresponder às necessidades dos nossos 6 milhões de clientes".

Procon

Na última sexta-feira, a Fundação Procon-SP encaminhou ofício à Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) solicitando a intervenção administrativa na AES Eletropaulo para que a concessionária restabeleça a regularidade e o bom funcionamento de seus serviços.

O pedido foi feito em decorrência dos problemas relacionados ao fornecimento de energia elétrica que os consumidores atendidos pela empresa enfrentam desde 2009.

Nos dois últimos anos, a Eletropaulo ficou entre as empresas que mais receberam reclamações junto ao Procon-SP. Um dia antes, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), criticou a AES Eletropaulo.

"É obvio que a concessionária não tem condições mínimas de atendimento rápido ao usuário e de se prevenir desses problemas de tempestade que todo mundo sabe que ocorre", disse. "A concessionária vai ter de indenizar (quem teve prejuízo)."