Tamanho do texto

No mês, carga cresceu 2,7% em relação a 2010, mas recuou 2% em relação a abril

A carga de energia despachada pelo Operador Nacional do Sistema (ONS) cresceu 2,7% em maio comparada ao mesmo mês de 2010, segundo dados preliminares, mas caiu 2% em relação ao mês anterior, refletindo menor atividade industrial no país, segundo dados divulgados nesta segunda-feira pelo ONS.

De acordo com a ONS, os números do mês passado em relação a maio do ano passado "reflete, dentre outros fatores, o comportamento da produção industrial que, segundo o IBGE, em sua Pesquisa Industrial Mensal Produção Física vem decrescendo, com destaque para o setor de bens duráveis", informou o operador.

Em abril, o crescimento registrado em comparação ao mesmo mês de 2010 foi de 5,2%, mas houve queda de 0,1% em relação ao mês imediatamente anterior.

Segundo a ONS, em maio foram consumidos 56.941 megawatts-médios, acumulando nos últimos doze meses alta de 5,2%.

As regiões Sudeste e Centro-Oeste, agrupadas em um único subsistema, foram responsáveis por quase 40% do consumo, com 35.062 megawatts-médios, uma alta também de 2,7% na comparação anual. Já em relação a abril a queda registrada foi de 3 por cento, já que a região concentra a maior parte do parque industrial brasileiro.

Por outro lado, a região Sul registrou um salto de 7,2% no consumo de energia na comparação anual, influenciada pela agroindústria. Com relação a abril, o consumo foi 0,9% maior.

A região Nordeste foi a única a apresentar queda em relação a maio de 2010, recuando 3 por cento, e também contra abril deste ano, em 2,4 por cento. A região sofreu com chuvas e temperaturas inferiores às registradas no mesmo mês do ano anterior, e também por menor carga destinada a consumidores livres da rede básica na Bahia e em Alagoas.

"O desligamento da Novelis, consumidor livre da Rede Básica, ocorrido em dezembro/10 representava cerca de 1% de redução da carga desse subsistema", informou o ONS em seu relatório.

A região Norte representou o maior aumento no consumo da carga de energia em maio, com 5,7% de alta contra maio de 2010 e alta de 1,3% contra abril, refletindo a entrada de um consumidor livre da rede básica em substituição ao seu sistema de cogeração.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.