Tamanho do texto

Primeira fase deve ocorrer em janeiro e selecionará o operador do sistema; apenas na segunda fase será escolhido o concessionário

Decidido a manter o projeto de construção do trem bala que ligará São Paulo, Campinas e Rio de Janeiro, o governo deve iniciar um novo leilão nos próximos meses, diz o diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), Bernardo Figueiredo.

Sem terem aparecidos interessados para entregar propostas ao projeto nos moldes anteriores, o governo resolveu mudar a forma do leilão do Trem de Alta Velocidade (TAV). Agora, serão duas concessões distintas. A primeira, que deve ocorrer em janeiro, selecionará o operador do sistema, com valor de cerca de R$ 10 bilhões.

Cerca de seis meses depois de definido o operador e a tecnologia a ser usada, será feito um novo leilão para selecionar o concessionário das obras de infraestrutura. O vencedor deste segundo leilão poderá subcontratar por lotes a construção de trechos da infraestrutura usada no TAV.

Mas será o vencedor do primeiro leilão quem vai decidir o modelo do trem bala brasileiro. Nesse primeiro leilão deverão concorrer os estrangeiros detentores de tecnologia. Segundo Figueiredo, espera-se a presença dos seis potenciais concorrentes internacionais do evento.

Segundo ele, o governo não vai aumentar a participação pública no projeto. O valor total da obra é de R$ 33 bilhões.

*Com Reuters