Tamanho do texto

Medida dá alívio às empresas que, sem o auxílio, teriam de desembolsar o valor na semana que vem

Reuters

O Tesouro Nacional antecipará R$ 1,2 bilhão para cobrir os maiores custos das distribuidoras com a compra de energia mais cara em janeiro, devido ao acionamento das usinas termelétricas, informou o governo federal nesta sexta-feira (7).

Os recursos serão repassados via Conta de Desenvolvimento Energético (CDE).

-Leia também: entidades dizem que situação do setor elétrico é delicada e merece cautela

A medida dá um alívio às distribuidoras de energia que, sem essa ajuda, teriam de desembolsar esse valor na semana que vem, quando ocorreria a liquidação das operações de compra de energia de curto prazo.

Os recursos serão repassados via Conta de Desenvolvimento Energético (CDE)
Getty Images
Os recursos serão repassados via Conta de Desenvolvimento Energético (CDE)

Com isso, o governo federal também evita o repasse do aumento dos custos para as tarifas dos consumidores, com impacto na inflação.

Para a cobertura deste montante, o Tesouro Nacional antecipará recursos já previstos no Orçamento deste ano para a CDE, que totalizam R$ 9 bilhões, segundo informaram o Ministério de Minas e Energia e o Ministério da Fazenda, em comunicado.

Esses recursos estavam previstos no Orçamento para cobrir outras responsabilidades da CDE ao longo do ano, conforme informado anteriormente.

"O governo continua avaliando as alternativas de solução para as demais situações enfrentadas pelo setor elétrico, inclusive para os próximos meses, e deverá anunciar as devidas providências, com a brevidade que o caso requer", informou em comunicado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.