Tamanho do texto

"Aparecida gera demanda quando você não tem demanda para os outros serviços. Está no contrafluxo", disse Bernardo Figueiredo, presidente da estatal EPL

Agência Estado

Bernardo Figueiredo preside a EPL
Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr
Bernardo Figueiredo preside a EPL

O presidente da Empresa de Planejamento e Logística (EPL), Bernardo Figueiredo, descartou nesta terça-feira a possibilidade de o Trem de Alta de Velocidade (TAV) não ter uma estação na cidade de Aparecida, em São Paulo. "É cláusula pétrea, não muda. É uma promessa. É um compromisso assumido com Aparecida", disse. "Aparecida gera demanda quando você não tem demanda para os outros serviços. Está no contrafluxo. Num feriado, quando as pessoas não se deslocam a trabalho, Aparecida gera demanda."

- Trem-bala terá custo maior, mas tarifas serão mantidas

Na semana passada, o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Augusto Nardes, relator do processo do TAV, aprovou o edital, mas recomendou que a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) revisse as expectativas de demanda de passageiros.

O ministro Aroldo Cedraz, porém, pediu vista do processo do edital e a expectativa é de que o TCU retome a análise na quarta-feira (05). O presidente da EPL disse que nenhuma informação adicional foi solicitada pelo TCU.

O presidente da EPL participou nesta terça-feira de evento em São Paulo promovido pelo Sindicato Interestadual da Indústria de Materiais e Equipamentos Ferroviários e Rodoviários (Simefre).


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.