Tamanho do texto

Apesar da redução de custos, a Eletrobras continuará investindo e vai participar dos novos leilões de geração e transmissão de energia elétrica

Reuters

A Eletrobras quer reduzir em 10% seus custos operacionais com pessoal, material, serviços e outros (PMSO) já em 2013, informou uma fonte próxima à empresa nesta segunda-feira. Nos nove primeiros meses de 2012, os gastos com pessoal, material e serviços da empresa somaram R$ 6,094 bilhões, com alta de 8,8% em relação ao mesmo período em 2011.

Apesar da redução de custos, necessária para adequar a estatal às receitas menores impostas pelo processo de renovação antecipada e condicionada das concessões, a Eletrobras continuará investindo e vai participar dos novos leilões de geração e transmissão de energia elétrica, garantiu a mesma fonte, que pediu anonimato.

Segundo estimativas da própria Eletrobras para assembleia de acionistas a ser realizada no próximo dia 3, a renovação das concessões proposta pelo governo federal --seu acionista controlador-- causará perda anual de receita de R$ 8,7 bilhões para a companhia.

Pelas regras do governo, a renovação antecipada das concessões que vencem entre 2015 e 2017 será feita com o fim da remuneração de ativos já amortizados. Apesar da perda de receita no processo, a diretoria da Eletrobras recomendou aos acionistas que aprovem a renovação das concessões na assembleia.

O temor com relação ao futuro da companhia castigou as ações da Eletrobras, que chegaram a ter a maior queda diária da sua história na Bovespa em um pregão na semana passada, de 20%.

Nesta segunda-feira, porém, os papéis viviam o segundo dia de recuperação, com alta de quase 6 por cento para as ações preferenciais classe B às 13h09, para R$ 8,15, enquanto o Ibovespa perdia 1,42%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.