Tamanho do texto

Ministro Mantega nega que injeção aconteceria para compensar perda com a renovação condicionada e antecipada das concessões que vencem entre 2015 e 2017

Agência Estado

Se o governo decidir capitalizar a Eletrobras não será para compensar as perdas com a renovação das concessões que vencem entre 2015 e 2017, mas para viabilizar investimentos e o crescimento da companhia.

- Governo tem urgência em reduzir tarifa de energia, diz Mantega

"Se formos capitalizar a Eletrobras, não será por esse motivo. Será para viabilizar novos investimentos e a expansão da empresa, como já fizemos. Não muda nada", afirmou nesta quarta-feira o ministro da Fazenda, Guido Mantega.

O ministro descartou a possibilidade de um cenário radical em que apenas a Eletrobras aceitaria renovar as concessões e todas as demais empresas rejeitariam a proposta do governo. "A maioria já aderiu. Não estamos falando de hipótese. É um fato concreto. Não existe essa hipótese. Existe um resíduo, que está em discussão."


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.