Tamanho do texto

Para o UBS, a saída do diretor financeiro da empresa sugere o risco de que a empresa aceite os termos negativos da renovação antecipada de concessões do setor elétrico

Reuters

A ação da Cesp recuava mais de 4% nesta segunda-feira, após o anúncio da renúncia do diretor financeiro da companhia na noite de sexta-feira, mesmo dia em que a geradora de energia divulgou seu resultado trimestral .

Para o UBS, a saída do diretor financeiro da empresa sugere o risco de que a empresa aceite os termos negativos da renovação antecipada e condicionada de concessões do setor elétrico. A analista Lilyanna Yang, do UBS, reduziu o preço-alvo para as ações da Cesp de 24 para 18 reais.

Às 13h01, a ação preferencial da empresa perdia 4,6%, a R$ 16,38. O Ibovespa tinha leve queda de 0,13%.

Para o analista Miguel F. Rodrigues, do Morgan Stanley, o mercado pode ter entendido que a renúncia do diretor financeiro é um sinal de que não há consenso na Cesp sobre a decisão de renovar ou não as concessões, trazendo mais pressão sobre as ações da companhia.

"Embora a rejeição da renovação das concessões pareça ser a alternativa mais atrativa para a Cesp, não podemos descartar um cenário em que a empresa aceite a renovação, refletido em nosso pior cenário, no qual vemos uma baixa de 50% no nosso cenário base de preço de 18 reais por ação", escreveu Rodrigues em relatório.

No fim da sexta-feira, a Cesp anunciou a saída de seu diretor financeiro e de Relações com Investidores Vicente K. Okazaki. O motivo da renúncia não foi informado. Ele será substituído interinamente pelo presidente-executivo da Cesp, Mauro Arce, que acumulará as funções.

A geradora paulista, uma das empresas mais afetadas pela renovação das concessões do setor elétrico, também divulgou lucro de R$ 149,6 milhões para o terceiro trimestre, revertendo prejuízo de R$ 98,6 milhões um ano antes.

A Cesp tem mais de três quartos de sua capacidade de geração na lista de hidrelétricas sujeitas à renovação de concessões elétricas que venceriam de 2015 a 2017 --componente importante da equação do governo para redução média de 20% na conta de luz no Brasil em 2013.

Se optar pela renovação antecipada, a Cesp receberá indenização de 1 bilhão de reais pelos investimentos não depreciados nas usinas Ilha Solteira e Três Irmãos. O secretário de Energia de São Paulo, José Aníbal, dizia que apenas Ilha Solteira tinha R$ 4 bilhões não amortizados.

Além do ressarcimento inferior ao esperado pelo governo do Estado, a Cesp terá a menor tarifa de geração no processo de renovação das concessões, segundo divulgou o governo federal.

(Por Danielle Assalve e Cesar Bianconi)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.