Tamanho do texto

Segundo Paulo Godoy, presidente da associação, vão ter que buscar outras fontes de financiamento para realizar investimentos após mudança de regra de concessões

Agência Estado

O setor elétrico não está sob risco, mas perdeu um caixa importante com a proposta feita pelo governo para renovação dos contratos que vencem de 2015 a 2017. A avaliação foi feita, nesta sexta-feira, pelo presidente da Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib), Paulo Godoy. Com esse novo cenário, as empresas do setor, segundo ele, vão ter que buscar outras fontes de financiamento para realizar investimentos. Entre as possibilidades de recursos de terceiros a mais atrativa são as debêntures.

Para Godoy, não há problemas de liquidez para que as empresas interessadas procurem recursos para investir. A avaliação do executivo, feita ao final de seminário do setor promovido em Brasília pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), é de que a proposta do governo "não é tão má assim".

A interpretação do presidente da Abdib é a de que o governo passou um recado para as estatais do setor elétrico que precisam ter um modelo de gestão mais próximo ao do setor privado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.