Tamanho do texto

Segundo o secretário de Transportes Metropolitanos de São Paulo linhas especiais de ônibus podem substituir no trajeto entre o aeroporto de Congonhas e a região do Morumbi

Agência Estado

Trem suspenso irá cruzar lugares como Ponte Estaiada, Marginal Pinheiros, aeroporto de Congonhas e Estádio do Morumbi
Metrô
Trem suspenso irá cruzar lugares como Ponte Estaiada, Marginal Pinheiros, aeroporto de Congonhas e Estádio do Morumbi

O monotrilho que ligará o aeroporto de Congonhas, em São Paulo, até a estação Morumbi da Companhia Paulista de Trens Urbanos (CPTM), a chamada Linha 17-Ouro do metrô da capital paulista, pode não ser concluído até a Copa de 2014, que será disputada no Brasil entre os dias 12 de junho e 13 de julho.

A afirmação foi feita na tarde desta terça-feira (6) pelo secretário de Transportes Metropolitanos de São Paulo, Jurandir Fernandes, durante a feira Negócios nos Trilhos, em São Paulo. "Nós não estamos garantindo para a Copa. Mas continuamos firmes até o fim de 2014. Se por ventura não der tempo para a Copa, nós vamos ajustar com fartas linhas de ônibus, linhas especiais para levar o pessoal de Congonhas para todos os destinos", disse. O trajeto de cerca de oito quilômetros entre o aeroporto de Congonhas e a região do Morumbi deve ser feito em 12 minutos com o monotrilho.

Saiba como o monotrilho vai impactar áreas importantes de São Paulo

Sobre a linha 13, que ligará o aeroporto internacional de Guarulhos à capital paulista, o secretário disse que o governo do Estado enviou uma carta à concessionária que ganhou a licitação do aeroporto, liderada pela Invepar, solicitando autorização para começar logo após o feriado de 15 de novembro prospecções para sondagens geológicas no local onde está prevista a construção da estação, em frente a onde é hoje o estacionamento.

"A nossa proposta firme é fazer a estação onde ela já está projetada, onde já temos que é na frente onde hoje é o estacionamento. Eles vieram propor uma outra posição ali perto, mas essa não é uma proposta nossa. Ninguém aceitou nada até agora. Nós queremos fazer no local onde temos as licenças da Infraero", disse o secretário. "Estamos aguardando a manifestação deles agora."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.