Tamanho do texto

Governo propôs novas taxas sobre a geração de energia elétrica para ajudar a reparar um rombo de 24 bilhões de euros resultante de anos de venda de energia abaixo do preço de custo

Reuters

O governo espanhol propôs novas taxas sobre a geração de energia elétrica nesta sexta-feira para ajudar a reparar um rombo de 24 bilhões de euros (US$31 bilhões) no financiamento da indústria elétrica resultante de anos de venda de energia abaixo do preço de custo.

A esperada medida, que ainda precisa ser aprovada pelo Parlamento, inclui uma taxa de 6% sobre as receitas da geração de energia elétrica para levantar 2,7 bilhões de euros anualmente e impedir o chamado déficit da energia de continuar aumentando em 2013.

Dilma anuncia redução de 16,2% na conta de luz para casas e 28% para indústrias

"As medidas anunciadas hoje significam que o déficit da tarifa vai parar de crescer em 2013", disse o ministro da Indústria, Jose Manuel Soria, depois de uma reunião mensal do gabinete.

O déficit da tarifa, fonte de tensão pública entre ministros, tem sido uma das principais preocupações dos investidores preocupados com o estado das finanças da Espanha enquanto o país parece seguir inevitavelmente para a ajuda europeia para seus custos de financiamento.

Uma proposta inicial para uma taxa variável na geração de energia bate de frente com a oposição de outros oficiais do governo e com o setor privado.

Incertezas sobre a reforma, que está sendo olhada de perto pela Comissão Europeia, pesaram nas ações das empresas elétricas espanholas e foram consideradas uma afronta aos investidores internacionais que colocaram dinheiro no setor considerando as regras atuais, que incluiam robustos subsídios.

As medidas para o setor de energia apresentadas nesta sexta-feira colocam o peso para resolver o déficit tarifário nas companhias em vez de nos consumidores, que já enfrentam o maior nível de desemprego na zona do euro, assim como menores salários e rígidos aumentos de impostos.