Tamanho do texto

Concessionária que administra o aeroporto internacional prevê investir R$ 2,6 bilhões até a Copa do Mundo de 2014 em obras de expansão e para eliminar atuais gargalos

Aeroporto de Guarulhos passará por reformas para eliminar gargalos até a Copa do Mundo de 2014
Dubes Sônego
Aeroporto de Guarulhos passará por reformas para eliminar gargalos até a Copa do Mundo de 2014

O terminal três do aeroporto de Guarulhos, programado para ficar pronto até a Copa do Mundo de 2014, terá shopping center e hotel cinco estrelas. As obras estão previstas no plano de expansão do aeroporto, que terá investimento de R$ 2,6 bilhões, informou nesta quarta-feira Antonio Miguel Marques, presidente da concessionária Aeroporto Internacional de Guarulhos S.A., que está assumindo a administração do aeroporto de Guarulhos.

As novidades foram anunciadas pelo executivo na apresentação do plano diretor que orientará os investimentos na expansão do aeroporto pelos próximos 20 anos, prazo de vigência da concessão. Como parte do plano estão previstas ainda a construção de prédios de estacionamento, edifícios comerciais, mais hotéis e centros de convenções, além da reforma dos terminais um e dois, de pátios e das pistas de pouso e decolagem.

MaisAéreas querem PPPs nos aeroportos

O plano também define as funções de cada terminal. Os terminais um e quatro, este inaugurado no início deste ano e hoje usado somente pela Webjet, serão dedicados a voos domésticos. O terminal dois será de uso misto. Nele serão operados voos domésticos e voos internacionais de curta duração. Os voos internacionais de longa distância e com aviões maiores, como os A-380 e o Jumbo 747-800, serão exclusivos do terminal três.

Desenhado com base no conceito asiático de aeroportos, o novo terminal terá 192 mil metros quadrados de área construída – mais que o dobro da área dos terminais 1 e 2 somados – e um prédio que concentrará lojas, salas VIP, opções de entretenimento, descanso e alimentação, diz o executivo. É onde também funcionará o hotel cinco estrelas. Dele, será possível seguir para o longo e largo corredor (finger) onde ficarão os portões de embarque e algumas lanchonetes, bancas de revista e livrarias.

TambémInfraero pode ter controle de consórcios

O hotel do terminal três será um hotel de passagem. A unidade terá 50 quartos e será destinada principalmente a passageiros em trânsito. Não será necessário passar pela imigração para ficar hospedado. Haverá ainda outro hotel cinco estrelas externo, com 250 quartos. Este, no caso, não será construído pelo concessionária. Segundo Marques, a ideia é entregar a obra a uma rede tradicional. “Já estamos negociando, mas ainda não há nada fechado”, afirma o executivo.

Prioridade

Até a Copa de 2014, porém, em função do tempo limitado, serão priorizadas algumas obras, além da construção do terminal três, iniciada neste mês, e do hotel de luxo. A pista principal de pouso e decolagem será alargada, de 45 metros para 60 metros, e reforçada para receber os super aviões da categoria F, da qual fazem parte o A-380 e o Boeing 747-800. Esses jatos não voam para o Brasil por falta de pistas e estrutura nos aeroportos.

E maisMovimento de passageiros em aeroportos cresce 7,9% no semestre

A pista também passará por obras para agilizar a saída das aeronaves. Hoje, há uma espécie de esquina no final da pista, que obriga a aeronave a reduzir muito a velocidade para ir para a área de desembarque. A nova saída será mais suave, como a alça de um viaduto, e permitirá que os aviões liberem a pista mais rapidamente.

As pistas secundárias, usadas somente na movimentação das aeronaves entre o pátio e a pista de decolagem, também serão alargadas e reforçadas, e o estacionamento de aviões, que atualmente tem 54 posições, ganhará mais 34 até o evento. Hoje, a falta de espaço para estacionamento, segundo Marques, é um dos principais gargalos em Guarulhos. A ponto de uma das pistas secundárias ser usada para isso.

O aeroporto terá ainda a sinalização modernizada e serão criadas áreas de escape nas cabeceiras das pistas, para dar maior segurança, as resas. “É algo que hoje não existe em praticamente nenhum aeroporto brasileiro”, afirma Marques.

Com as mudanças, diz o executivo, a estimativa é de que o intervalo entre pousos e decolagens seja reduzido e a capacidade de pousos e decolagens por hora aumente em 40%. Hoje, afirma, Guarulhos faz em média 52 movimentos por hora – cada pouso ou decolagem conta como um movimento. Em horários de pico, o aeroporto chega a registrar 63 movimentos. Mas Marques diz que o intervalo em que as aeronaves operam ainda é muito grande, se comparado aos padrões internacionais.

Leia também:  Concessionária do aeroporto de Cumbica projeta triplicar receita em cinco anos

A má notícia para quem costuma usar o aeroporto em viagens é que as obras nas pistas deverão tumultuar o já conturbado movimento de aeronaves no aeroporto de Guarulhos. De acordo com Marques, é algo impossível de evitar. A estratégia para reduzir o impacto será iniciar o trabalho somente na baixa temporada do próximo ano, que coincide com a temporada mais seca, durante o inverno.

Reformas

O plano inclui ainda a reforma dos terminais um e dois até a Copa. Entre as melhorias previstas, será construída uma nova área para processamento de bagagens no terminal dois. Segundo Marques, este é outro importante gargalo do aeroporto. “Vocês não veem, mas em alguns horários tem congestionamento de tratores de bagagem”, afirma.

Até outubro, a concessionária também pretende implantar uma nova sinalização de orientação aos passageiros dentro dos terminais e mais câmeras de segurança. Há previsão de melhorias na iluminação. Em um prazo de seis meses a um ano também deverá estar concluída a ampliação da área de raio-X e de controle de passaporte. O Free Shop na chegada de voos internacionais será realocado e o espaço será usado para construir mais esteiras de bagagem.

Estacionamento

Por fim, até 2014 serão criadas ainda seis mil novas vagas de garagem, sendo de 2,4 mil estarão em um novo prédio, que deverá ter 85 mil metros quadrados de área a já começou a ser construído. Esse estacionamento será entregue no primeiro semestre de 2013 e terá todos os níveis de serviços, para todos os bolsos, como valet e mensalista, diz Marques. Além disso, haverá diferenciação de preços. Quem quiser ficar mais perto do terminal vai pagar mais do que quem parar mais distante. As outras 3,6 mil vagas vão ser abertas aproveitando melhor as áreas já existentes.

Pós 2014

Passado o corre-corre para receber os visitantes da Copa do Mundo, Marques diz que uma série de outras obras serão iniciadas com horizonte de conclusão em 2016, a tempo da Olimpíada. De acordo com o executivo, serão construídas mais saídas rápidas na pista principal, e o terminal 3 será expandido, com mais 22 posições de aeronaves. Na área externa, está prevista a implantação de um hotel quatro estrelas e um hotel três estrelas. Mais 4 mil vagas de estacionamento deverão ser criadas em dois novos prédios.