Tamanho do texto

"Ainda não vamos lançar comercialmente, apenas continuar fazendo experimentos aos clientes", afirmou o presidente da empresa, que evita comentar sobre os novos planos

Agência Estado

A empresa de telefonia Claro realizou hoje os primeiros testes com transmissões de videoconferência na tecnologia de quarta geração (4G) a partir da cidade de Campos do Jordão (SP), ligando Parati e Búzios (RJ) e uma antena instalada em Brasília (DF).

TV:  Desligamento do sinal analógico pode começar em 2013

O presidente da Claro, Carlos Zenteno, disse à Agência Estado que a empresa ainda aguarda a homologação das licenças de 4G por parte da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), e que o lançamento comercial nestas cidades deverá ocorrer apenas em 2013, junto com as cidades sedes da Copa das Confederações (Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Recife, Rio de Janeiro e Salvador).

"Ainda não vamos lançar comercialmente, apenas continuar fazendo experimentos aos clientes", afirmou. Zenteno evitou comentar se a venda de planos com 4G poderia ocorrer antes do prazo estabelecido pelo leilão da Anatel, que é de abril de 2013, mas afirmou que a empresa está empenhada em conseguir esta antecipação. Segundo ele, a expectativa é de que a formalização do uso do 4G possa vir ainda este mês.

Já os equipamentos, como aparelhos de celular e modem compatíveis com a nova tecnologia, poderão ser vendidos antes do lançamento comercial aos clientes. Há duas semanas a operadora abriu sua rede de testes em Campos do Jordão para os usuários experimentarem a velocidade e a alta definição por meio de downloads e streaming de vídeos. "Testamos quatro vídeos simultaneamente, todos com boa experiência", afirmou o executivo.

Leilão

Zenteno afirmou que apoia a iniciativa do governo de promover o leilão da frequência de 700 MHz, que deverá ocorrer no segundo semestre de 2013. Segundo ele, esta faixa de frequência deveria, porém, complementar as obrigações impostas à empresa de cobertura na licitação de 2,5 GHz, em junho deste ano.

"Essa faixa (de 700 MHz) poderá ajudar a complementar as metas. O 2,5 GHz poderia ser mais usado nas grandes cidades e o 700 MHZ em cidades menores e áreas mais abertas, como rodovias. Isto aceleraria a expansão, de forma mais eficiente", disse. (Rodrigo Petry - rodrigo.petry@estadao.com)