Tamanho do texto

"A Infraero deve se associar a uma gestora privada de aeroportos e, então, cria-se uma empresa própria para gerir aeroportos", afirmou o governador do Rio de Janeiro

Agência Estado

Movimentação no aeroporto do Galeão, no Rio
WILTON JUNIOR/AE
Movimentação no aeroporto do Galeão, no Rio

O governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, informou nesta segunda-feira que o Aeroporto Internacional do Galeão não deve ser privatizado, mas seguir um modelo de gestão compartilhada.

Ele afirmou que esta é a solução mais inteligente que a presidenta Dilma Rousseff encontrou para encurtar caminhos.

Segundo ele, essa gestão compartilhada é o modelo mais moderno e inteligente.

"A Infraero deve se associar a uma gestora privada de aeroportos e, então, cria-se uma empresa própria para gerir aeroportos", afirmou Cabral ao deixar o Ministério da Fazenda.

O governador afirmou que no Galeão é preciso gestão. "Queremos que a escada rolante funcione, que a bagagem chegue rapidamente e que o banheiro esteja limpo", afirmou.

Ao ser questionado se essa associação entre a Infraero e uma empresa privada, com experiência em gestão de aeroportos, ocorreria sem licitação, Cabral disse que não poderia entrar em detalhes porque essa é uma decisão da presidenta Dilma.