Tamanho do texto

Segundo presidente da empresa, o valor necessário para a implantação de projetos de geração eólica varia entre R$ 3,5 mil e R$ 4 mil por quilowatt

A Eletrobrás tem em carteira projetos de geração de energia eólica que totalizam uma capacidade de geração de 5 mil megawatts (MW). Para sair do papel, o conjunto de projetos precisará de investimentos entre R$ 17,5 bilhões a R$ 20 bilhões.

Esse portfólio - que corresponde a uma capacidade de geração superior à de usinas hidrelétricas como Jirau e Santo Antônio -, é composto de empreendimentos em construção e de projetos que ainda serão implementados e em estudos, disse ontem o presidente da companhia, José da Costa Carvalho Neto.

MaisEólica seguirá como energia complementar, diz presidente da Eletrobras

O valor total foi calculado com base em estimativas de custos feitas pelo executivo. Segundo ele, o valor necessário para a implantação de projetos de geração eólica varia entre R$ 3,5 mil e R$ 4 mil por quilowatt (kW). Como parte desses projetos ainda está em análise ou precisam de estudos de impacto ambiental, alguns podem não ser concretizados.

Apesar dos pesados investimentos previstos para geração de energia com utilização da força dos ventos, Carvalho Neto ressaltou que a prioridade da Eletrobrás continua sendo a geração hidrelétrica. “Na nossa matriz, o carro chefe é a hidrelétrica. A eólica é um complemento importante”, declarou o presidente da Eletrobrás, depois de participar da Confederação Nacional da Indústria (CNI), paralelo à Rio+20.

TambémEletrobras e State Grid estudam parceria em Belo Monte

Os planos da Eletrobrás de investir nesse segmento não se restringem ao Brasil. Em abril, a companhia assinou com a UTE/Uruguai um acordo para a construção de um conjunto de usinas eólicas no país vizinho. Os estudos para a obra devem ser concluídos no começo de julho, informou recentemente Carvalho Neto. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo .

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.