Tamanho do texto

Recursos serão usados para construção do trecho Norte

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e o presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Luis Alberto Moreno, assinaram nesta quinta-feira um acordo pelo qual a entidade concede um empréstimo de US$ 1,15 bilhão para a construção do Trecho Norte do Rodoanel Mario Covas.

O projeto, com previsão de término para novembro de 2014, estima a redução de 10% do fluxo de trânsito no primeiro ano de funcionamento, assim como a queda de 12% das emissões de gás carbônico na cidade. "Esse é o último trecho, chamado trecho norte, e ele vai integrar vários modais de transporte: o modal rodoviário, tirando 40% dos caminhões da Dutra na entrada de São Paulo, e das marginais do Tietê e do rio Pinheiros, integrando com o modal aeroviário, com o aeroporto de Guarulhos, que é o maior aeroporto brasileiro, com o modal portuário, com o maior porto da América Latina, Santos", declarou Alckmin.

Na opinião do governador paulista, as obras ajudarão muito tanto a mobilidade urbana em São Paulo quanto o meio ambiente. Moreno, por sua vez, enfatizou a importância de um programa desta magnitude para uma cidade com frota superior a 10 milhões de veículos. "A finalização da parte norte reduzirá a congestão e oferecerá uma melhor conectividade e mobilidade da população, além de melhorar a segurança das viagens".

Além do US$ 1,15 bilhão do BID - com 25 anos de prazo e cinco anos de carência -, as obras do último trecho do Rodoanel receberão US$ 980 milhões de investimentos dos Estados Unidos e US$ 890 milhões do governo de São Paulo. EFE rg/sa (foto) (vídeo)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.