Tamanho do texto

Em evento da empresa em Nova York, Agnelli disse que tem um relacionamento "muito bom" com Dilma Rousseff

Nos próximos dois anos, a Vale investirá entre US$ 26 bilhões (R$ 43 bilhões) e US$ 28 bilhões para finalizar seus projetos de expansão. A previsão foi feita nesta segunda-feira pelo presidente da empresa, Roger Agnelli, durante o 8º Vale Day, na Bolsa de valores de Nova York, nos Estados Unidos.

"Queremos terminar os projetos e dobrar o número de novos projetos. Fertilizantes e cobre são prioridades", comentou Agnelli durante a apresentação, que marca dez anos da oferta de ações da Vale no mercado americano. Segundo o executivo, o plano de investimentos da empresa será detalhado nas próximas duas semanas, mas a companhia iniciou sete projetos este ano e possui mais seis engatilhados para 2011.

Política

Durante o evento, Agnelli evitou comentar rumores sobre uma possível saída do comando da empresa, após a sucessão presidencial, ou a respeito de divergências com a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff.

"[Eu e Dilma] temos um relacionamento muito bom. Temos o mesmo objetivo, que é o crescimento da companhia e lucratividade", disse. "A empresa não é uma companhia política, suportamos a inovação, tecnologia (...). O que temos de fazer é continuar trabalhando", complementou.

Questionado mais de uma vez pela imprensa sobre o tema, Agnelli afirmou que uma mudança poderia ser "natural". "Se os acionistas quiserem mudar, é o trabalho deles tomar esta decisão. Faz parte da democracia e é um ótimo exercício", respondeu.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.