Tamanho do texto

RIO - O diretor de abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, afirmou que a definição sobre a utilização do óleo do pré-sal da bacia de Santos como matéria-prima para a fabricação de lubrificantes deverá ser tomada dentro de dois anos, prazo para a conclusão dos testes

. Caso o óleo seja destinado para tal uso, significará a redução da importação de até 100 mil barris diários, volume hoje enviado para a Refinaria Duque de Caxias (Reduc) para produção de lubrificantes. "Esses reservatórios do pré-sal, a princípio, são indicados para essa produção de lubrificantes, mas tem que fazer uma série de testes. Hoje a gente importa do Oriente Médio para produzir lubrificantes", frisou Costa. O executivo também ressaltou que a balança comercial da companhia deverá fechar positiva este ano, mas abaixo dos US$ 2,8 bilhões do ano passado devido ao alto volume de importação de diesel em 2010. Costa explicou que o aumento do consumo de diesel aliado a paradas técnicas em algumas refinarias acarretaram maior importação do combustível este ano. "Tivemos parada de 60 dias na Replan [refinaria de Paulínia], para fazer aumento de capacidade da unidade, que processa 30 mil barris a mais por dia. Tivemos que importar muito derivado e isso obviamente vai afetar a balança no final do ano", explicou Costa. Ele também estima um bom crescimento para o mercado de derivados, que no primeiro semestre avançou na casa de 12% em relação a igual período do ano passado. "Acho que tem chance [de manter média até o fim do ano]. Mas não posso garantir", frisou Costa. (Rafael Rosas | Valor)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.